25 de jan de 2013

Num mundo ideal



Não quero parecer carente de você a todo momento, nem nada parecido. Mas eu preciso confessar como eu queria poder te abraçar, aqui e agora. Entre lágrimas e sorrisos. Não precisa dizer nada, nunca precisamos. Só me abraça forte igual da última vez e me deixa sentir sua respiração junto a minha.

Eu nunca me canso de falar sobre seu abraço, o carinho e o conforto que ele me proporciona. Nunca encontrei nada que pudesse me espelhar para poder te superar nas minhas noites solitárias de você. E não importa o tempo que já passou, seu abraço continua sendo o melhor lugar para se viver. Soprei um dente de leão e corri atrás de suas sementes, na esperança de que algum deles pudesse te encontrar. Deixei o café quente ao lado da cama, na esperança de que você chegue pela manhã. Redesenhei nossos momentos, na esperança que você pudesse encontrar um lugar melhor pra ficar. Escrevi saudade tantas vezes sem enviar, porque não queria te assustar. Guardei tanta crise de ciúmes no fundo do guarda roupa. 

Guardei minha ansiedade, minha saudade e minha vontade de você em baixo do meu colchão e confesso que as vezes fica doloroso adormecer sobre tudo isso. Eu continuo cruzando os dedos para que nossos mundos voltem a se encontrar. Eu continuo esperando pra poder morar de vez no seu abraço.