28 de fev de 2013

E ai, novidades?




 - Oi, tudo bem?

"Não, não está tudo bem. Tem todo esse lance da violência, da miséria, da corrupção e tal. Tem a juventude alienada e as crianças precoces, tem os adultos dominados pelo sistema e os velhos arrependidos. Tem os jovens que estão doentes, tem o amor que não está presente, tem os sonhos que estão tão distantes, falta dinheiro, falta salubridade, falta sanidade, falta tempo."
(Mas ninguém quer nem precisa ouvir uma neurose dessas como resposta para uma pergunta tão simples)

- Tudo e ai?

- Tudo também.

- E ai, novidades?

- Tudo na mesma, e ai?

- Nada também.
"Continuo horas por dia perdidas no trânsito para chegar ao mesmo emprego que eu odeio para pagar as coisas que eu não preciso. Continuo querendo arrumar tempo para estudar mais, sonhar mais, viajar mais, aproveitar mais. Continuo me perguntando se um dia tudo isso vai valer a pena..."
(Estou cansada, cansada demais para ser otimista. Mas ninguém precisa saber disso, então eu sorrio)

- A gente se vê por aí.

- Claro, até mais. 
"Mais uns dias, mais umas lutas silenciosas,  mais umas horas bem dormidas quem sabe."
Por enquanto...

- Mais um café por favor.