8 de abr de 2013

Dar valor




Às vezes eu preciso desligar meu telefone pra ver se consigo desligar a esperança de que você me ligue. E dá vontade de sair das redes sociais, mudar meu endereço, tudo pra ver se essa esperança maldita desaparece junto comigo. A campainha toca, não é você. Não é você.



Mas uma hora vai ser, eu sei que vai. Cedo ou tarde, você aparece, manda uma mensagem, liga quando eu menos esperar. Arrependido, com desculpas que eu nem mais vou me importar. Porque todos sempre voltam quando perdem. É uma das manias mais burras do ser humano essa, querer uma coisa quando já não lhe pertence mais.



Não seria mais simples, pra não dizer até mais inteligente, dar valor ao que se tem? Porque a vida sempre vai te ensinar a valorizar aquilo que você tinha. Pois é. Mas o ser humano não é simples e nem tão racional. Ele é emocional, impulsivo e essas coisas.



Tudo bem. Sua falta acabará com essa esperança. E a minha falta, é o que te fará voltar. E se nessas idas e vindas a gente ainda se encontra, que seja pelo nosso próprio valor.