26 de abr de 2013

O que levo comigo



Cheguei de viagem e minha mochila ficou ali, ao pé da cama, pronta para próxima. Não sei quando será, nem para onde, mas parece certo que ela fique ali, de prontidão. Me lembrando das boas aventuras e me inspirando para as próximas. 


É como um lar para mim que eu posso carregar e levar para onde for, a hora que for. Um bom livro, meu diário, óculos, guarda-chuva, carregador, câmera e algum trocado pra dar garantia. Do que mais eu preciso para viver afinal? Além das boas histórias que terei para contar, dos amigos que eu posso fazer, dos mil jeitos de um pôr do sol que eu posso ver.


Nunca tive essa noção de casa, de raízes, só conheço rastros por onde passei, rastros de quem também passou aqui pela minha vida. De definitivo mesmo só sei das minhas tatuagens. Porque meus sonhos e opiniões mudam, meus planos falham, as pessoas ao meu redor mudam também.


De definitivo eu só desejo a paz. Que como a mochila que carrego, eu também possa levar comigo a paz para ser compartilhada.