2 de mai de 2013

Meu assunto preferido


Parabéns, já faz um mês que a gente nem se fala. Quando eu vou parar de falar sobre você? Bom, isso já é mais difícil de resolver. Já prometi mil vezes que o próximo assunto não seria sobre você. Amores frustados para declarar é o que não falta, mas sempre tem aquele que pega mais forte, o meu ainda é você. Até porque você é o mais recente, vem a tona ainda mergulhado nas emoções que eu tento tão desesperadamente disfarçar.


Não era amor, eu tento me convencer. Era algo muito melhor, é o que uma parte mais incontrolável de mim responde. Eu não sinto sua falta, mas o gelo no meu estômago contraria isso também toda vez que te vejo online. 


Eu abro sua janela no chat sem ter nada pra dizer. Só pra dar de cara com o final daquela nossa última discussão. Só pra me perguntar mais uma vez se você não vai mesmo vir falar comigo. Só pra ter certeza que eu é que não quero tomar a iniciativa de falar com você dessa vez.


Sem saber se você sente raiva, magoa, saudade, amor, ou qualquer coisa que seja por mim, fica mais difícil de esquecer assim. A indiferença, o silêncio, as coisas que não foram ditas e as que não deveriam ter sido. Nada disso supera o fato de que eu não consegui superar a falta do seu abraço, do seu assunto e do nosso laço.