23 de jun de 2013

One year ago




Não gosto muito de pensar em coisas que aconteceram há um ano atrás, ou mais. É como se tudo aquilo que já tivesse partido de vez voltasse e me fizesse sentir tudo de novo. Sou indecisa, eu sei. Talvez aquelas lembranças me façam bem hoje, mas isso não é motivo o suficiente para revive-las novamente.

Foram tempos conturbados, cheios de idas e vindas, encontros e desencontros. Hoje olho para atrás e consigo sorrir ao imaginar como eu estava naquele tempo, vivendo tudo isso, com sentimentos mais embaralhados que uma bola de lã. Mas agora é um pouquinho diferente. Consigo revier tudo isso sem pensar só nas coisas que deram errado e naquelas que não aconteceram. Talvez isso seja a maturidade resolvendo bater a minha porta e entrando sem pedir licença. Ou talvez seja aquela velha história de superação de que tanto falam.

Hoje levantei e revivi cada detalhe daquele tempo, principalmente aqueles que saíram do avesso e fizeram tudo dar tão errado. Agradeço no final do dia por ter tido novas lembranças suas, me fazem sorrir de verdade. Aquelas em que, antes de dormir, fico revivendo e apertando o peito de tanta saudade. Ora ou outra uma lágrima solitária escorre entre meus sorrisos e lembranças, mais uma vez: é só saudade.

Mais ela me da vontade de seguir em frente e não de voltar atrás. Ah, essa maldita saudade. Embora durma constantemente em meio as nossas lembranças é esse casalzinho, de saudade e esperança, que me deixa aqui com folhas em branco e cheia de vontade de escrever nossa história.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários