abstinencia

Amantes em recuperação

14:29


Essa noite sonhei com você. Fazia tempo que não acontecia e isso me chateou um pouco quando acordei e o sonho todo estava intácto na minha cabeça. Parecia tão real que me perguntei se não era apenas alguma lembrança e fui obrigada a abrir o baú onde te escondi. Mas não, não encontrei tal lembrança, apesar da semelhança com muitas delas.

Você, como quem não quer nada como sempre foi, chegou em casa de mansinho, com aquela cara de cachorro carente, e quando percebi já tinha tomado tudo de mim. Meu tempo, meu corpo, meu coração e até meu orgulho que você mesmo feriu. Te deixei por um momento para atender o telefone e quando voltei você já tinha partido, sem explicações, sem nem ao menos um adeus adequado. Apenas tomou sua dose de mim e me deixou ali gastando neuronios pra tentar te entender mais uma vez.

Me perguntei até quando seria assim, e quando acordei me lembrei que já não é. Te mandei um pouco de luz e amor e te esqueci novamente, obrigando suas lembranças a se enfiarem em algum canto escuro onde fica mais difícil para encontrarem o caminho até surgirem expontaneamente.

Já faz um tempo que não tomo minha dose de você. E às vezes eu me pego pensando no que dizer se do nada você resolver aparecer. Como qualquer viciado em recuperação, sei que preciso evitar a tentação. Por isso digo não a mim mesma todos os dias. Só por hoje não vou te procurar. Só por hoje eu não quero te ver. Só por hoje não vou tomar minha dose de você. Só por hoje.

Pena que já não posso dizer o mesmo para o meu subconsciente, que de vez enquando consegue encontrar o caminho e te trás atona, sem mais nem menos. Cara, até nas minhas lembranças você consegue ir e vir, me deixar irritada, triste ou feliz, e depois ir embora novamente. 

Sei que nem todas as drogas são ruins, se você souber usa-las com cuidado. Mesmo os piores venenos podem servir de cura se administrados na dose correta. Mas nós não sabemos, não é? Nós perdemos o controle e o rumo. Nós exageramos na dose e agora enfrentamos as consequencias, afastados.

Sei que você me avisou que isso aconteceria e sei que eu quis pagar pra ver. E não é assim com qualquer droga? E não era exatamente isso que queríamos? Alívio imediato, sem pensar nos efeitos colaterais. E aí está a saudade, a abstinência. Dizem que uma hora passa. Dizem que as vezes é preciso outra droga para largar a primeira. Dizem muitas coisas. Dizem até que a gente um dia cria responsabilidade e volta. Sei lá. Não sei nem dizer se esse nosso lance todo era de amor ou só de desejo mesmo. Sei que fiquei viciada, e não preciso mais depender de você pra nada.
 
 



You Might Also Like

0 comentários

SUBSCRIBE

Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf
Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf

Todo o conteúdo é criado pela equipe Idealiizar e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada a seu devido autor. Todas as opiniões aqui expressas são de total responsabilidade de seus autores. Declaro que as imagens aqui utilizadas não são de minha autoria, salvo exceções, e que qualquer problema relacionado ao uso indevido de imagem deverá ser encaminhado para idealizar.me@gmail.com.