comunismo

Minha, modesta, opinião sobre todo esse lance do "rolezinho"

16:18




Muito se fala sobre preconceito. É preconceito daqui, preconceito acolá. Porque acho que esse é um dos males do século XXI: opinião virou preconceito. Não quero nem entrar mais para o lado socialista/comunista da coisa, porque esse não é o intuito. Mas tem muita, MUITA, gente julgando essas pessoas, tanto de forma negativa quanto positiva, e eu devo dizer que ambas estão erradas.

Em meados de 2006 pelo menos um terço dos meus amigos no Facebook faziam o que hoje é titulado como "rolezinho". Adolescentes de 15 à 18 anos passavas as noites de sábado na frente de shoppings (no meu caso o ABC e o Balneário em Santos). Era a nossa desculpa para conhecer gente nova, tomar vinho barato, discutir música com nossos amigos e beijar na boca. Porque não conheço, ou conheci, nenhum adolescente que não gostasse desse combo. Nós éramos julgados, pelo olhar, por nossas roupas pretas e olhos pintados. Mas e daí? Não estávamos, geralmente, incomodando ninguém. Sempre fui daquele tipo "os incomodados que se retirem".

Quem nunca se juntou para fazer algo do tipo que atire a primeira pedra do preconceito. Entretanto é preciso analisar que o mundo mudou. Com o perdão da palavra, ele mudou pra caralho. Eu, particularmente, não me sentiria incomodada de andar no shopping com meus irmãos mais novos e ver um grupo de roqueiros com suas bandanas e seus cigarros a mostra. Assim como não sentiria incomodo em ver um grupo de pessoas com boné tipo aba reta e inúmeros colares cor de ouro no pescoço. 

Mas não é apenas isso que eles fazem. E se você vier aqui discordar de mim eu aceito a discussão, mas minha opinião vai ser a mesma de sempre. Liberdade de expressão é uma coisa linda mas já estão comparando esse tipo de atitude com a "atitude de burguês que ocorreu em meados de junho do ano passado". Quem ocupou as avenidas das principais cidades do país não é burguês, me desculpa mas burguês vai lutar, no máximo, pelo preço da gasolina. Voltando ao "rolezinho" existe uma enorme, gigantesca, diferença entre se sentir incomodado e ser obrigado a se sentir incomodado.

Dizem que funk é cultura e eu não discordo disso. Existe funk que é um rap misturado com mpb e uma batida completamente promissora. Mas não venham me comparar Vaca Profana de Caetano Veloso com Quero Te Dar de Valeska. Inventaram uma coisa chamada fones de ouvido e deveria ser apresentada à muita gente. Tanto funkeiros quanto pagodeiros, roqueiros e qualquer outro tipo de "eiros" espalhados por esse Brasil. 

Esse papo de causar arruaças nos shoppings, levantar a placa de "estou certo e vocês errados", sofremos preconceito por sermos negros e da periferia, ou qualquer outro tipo de egocentrismo é que é completamente errado e inaceitável. Essa briguinha entre estilos é que não me desce a garganta. Você curte sua música, o cara do seu lado não. Você gosta de sair e pegar meninas mais novas, encher o cu de pinga barata e pagar de ostentação, mas a família da mesa ao lado não.

O brasileiro tem o dom, e o desprazer, de distorcer tudo. Absolutamente tudo que a mídia transmite, e ainda dizem que ela é a principal culpada disso acontecer. Esse lance de preconceito me enjoa porque eu tenho certeza que nem metade desse povo tem noção do que essa palavra sequer significa. Espero apenas, de coração, que esse pessoal aprenda a diferença entre liberdade e libertinagem. Do contrário de nada valerá sair nas ruas e pedir por direitos se nós, sequer, vamos merece-los. Ah, e não venham chamar de burguesa, quem está fazendo manifestação em shopping não sou eu.


You Might Also Like

0 comentários

Comentários

SUBSCRIBE

Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf
Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf

Todo o conteúdo é criado pela equipe Idealiizar e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada a seu devido autor. Todas as opiniões aqui expressas são de total responsabilidade de seus autores. Declaro que as imagens aqui utilizadas não são de minha autoria, salvo exceções, e que qualquer problema relacionado ao uso indevido de imagem deverá ser encaminhado para idealizar.me@gmail.com.