amor

Eu, ele e a distância entre corredores

16:15


Eu me sentia insegura perto dele e eu me odeio por me sentir assim. Todas as vezes que estávamos juntos era como se todas as minhas barreiras se desmoronassem ao meu redor. Sentia meus pés colarem ao chão como se eu estivesse presa a um personagem que não era eu. Eu não era tímida e nem uma daquelas garotinhas que ficam todas abobalhadas perto de um cara. Eu nunca fui assim e estava pedindo ao céus para não ser. Por favor, não. Agora não.

Ele atravessava o pátio do colégio em direção a cantina e consequentemente passava por mim. Sua jaqueta de moletom e seus cabelos eram como luzes de neon numa estrada escura qualquer. Eu o encontrava onde quer que ele estivesse, mesmo naquela imensidão de alunos vestidos com o mesmo traje azul sem graça, eu conseguia segui-lo com meu olhar. Mas por meses ele não era nada além disso: uma pessoa vestida com uniforme escolar e um sorriso incrível. Eu nunca pensei que poderia sequer cogitar a possibilidade de me sentir perdidamente apaixonada por um alguém que eu mal conhecia. Mas isso se tornava apenas uma das minhas teorias malucas sobre o porque não se apaixonar. Teoria essa que desaparecia completamente quando ele sorria.

As vezes eu me perdia na conversa com meus amigos porque estava com o canto dos olhos observando seus movimentos. Sempre fui discreta quanto a uma paixão, porque se ela estiver guardada dentro de mim pode ser que ela exista. Mas a partir do momento que eu compartilho com outra pessoa ela passa a ser a coisa mais verdadeira e real que já tenhame acontecido. Então me mantinha de longe, apenas observava seus olhos, seu cabelo jogado para um lado e como todos os dias ele mantinha uma lata de Coca Cola na mão enquanto conversava com seus dois melhores amigos.

Como se lesse meus pensamentos ele atravessou o pátio naquela manhã e, ao invés de se dirigir até a cantina para começar a sua maratona de apodrecimento dentário, ele parou ao meu lado e perguntou meu nome. Eu não era assim, eu juro. Sempre fui extrovertida e sempre me disseram que poderia ter qualquer cara aos meus pés por isso. Nunca liguei para a opinião de ninguém e jamais aceitei que um espelho poderia me dizer o que fazer e o que vestir. Mas naquele momento eu gostaria de ter penteado os cabelos antes de sair de casa, marcado os olhos com um lápis preto e ter dito alguma coisa interessante. Mas não pensei em absolutamente nada então sorri. Um sorriso abobalhado e cheio de insegurança. Mas que merda!

Ele disse "a gente se vê" e se afastou em direção oposta. Ele nem sequer cogitou a possibilidade de se direcionar até a cantina e fazer de conta que tinha se enganado, que na verdade queria dizer "oi" para outra pessoa que estava atrás de mim. E foi quando ele se afastou que o sangue voltou a fazer o caminho que ele jamais deveria deixar de ter feito. Foi quando as palavras finalmente surgiram na minha mente mas agora estavam presas em minha garganta. Eu queria ter dito alguma coisa. Eu queria ter mostrado um sorriso mais convincente, mais alegre e menos sonolento - embora fossem apenas nove e meia da manhã.

Passei o restante da aula repassando seus movimentos e os meus. Pensei em coisas que eu teria dito e como fui idiota por não tê-lo feito. Ele nem era o cara mais bonito do colégio para eu me sentir assim, com as pernas bambas e o coração acelerado toda vez que ele se aproximava. O sinal tocou e eu sai da sala como sempre. Era sexta feira e eu só o veria na próxima semana, provavelmente nem se lembraria mais do nosso quase diálogo. Foi quando num surto rápido eu caminhei entre a multidão de uniformes azul e o encontrei, encostado na parede com um cigarro entre os dedos.

- Olá, quer fazer alguma coisa depois da aula? - disse sorrindo, um sorriso de verdade dessa vez

Ele sorriu, jogou a mochila sobre os ombros e me seguiu. Naquela manhã descobri que três segundos de insegurança podem trazer duas horas e meia de arrependimento. E que um segundo de atitude pode me levar a uma tarde inteira de histórias para contar.


You Might Also Like

4 comentários

  1. Ownn que lindo! Parabéns menina você tem talento! Adorei bjs :D
    http://saracavalcantes2.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada linda <3
      Seja bem vinda ao blog
      beeijos

      Excluir
  2. Adorei o Post *-*
    Visitante de primeira e já amei tudinho aqui, parabéns :D

    Bjusss, http://lookdobem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deh! Muito obrigada pelo carinho, seja super bem vinda ao Idealiizar
      <3

      Excluir

Comentários

SUBSCRIBE

Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf
Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf

Todo o conteúdo é criado pela equipe Idealiizar e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada a seu devido autor. Todas as opiniões aqui expressas são de total responsabilidade de seus autores. Declaro que as imagens aqui utilizadas não são de minha autoria, salvo exceções, e que qualquer problema relacionado ao uso indevido de imagem deverá ser encaminhado para idealizar.me@gmail.com.