Avril Lavigne

Por Onde Andei - Avril Lavigne em São Paulo

18:55


Eu sinceramente nem sei por onde começar. Não sei se começo pelo que senti antes, durante ou depois do show. Se comento minhas dores no corpo ou sobre minha voz fraca. Não sei se começo pelo elogios quanto a produção ou com a críticas quanto ao lugar do evento. Sinto as palavras sumirem da minha mente enquanto escrevo isso. Porque eu sinceramente não sei por onde começo.

Nos últimos dias 29 e 30 de abril rolou aqui em São Paulo os primeiros shows da turnê da cantora Avril Lavigne aqui no país. Ela desembarcou em solo brasileiro em 2005 pela primeira vez e posteriormente em 2012, trazendo já uma cantora completamente diferente da primeira. Mas dessa vez não foi isso o que aconteceu. Não sei se por conta do último show ter acontecido no mesmo espaço que o anterior ou se é porque eu acredito que dessa vez ela encontrou sua personalidade e decidiu manter-se assim, do jeito que está. O que eu acho bem legal.

O show começou sem atrasos e correu perfeitamente bem, tudo como programado. O que eu acho mega legal na produção da sua turnê porque não tem nada mais chato do que ficar semanas esperando pelo dia, horas na fila e o artista ainda atrasa horas por pura frescura (isso é pra você Axl Rose). Li algumas notícias por aí onde os jornalistas dizem que ela interagiu pouco com o público e foi uma apresentação super tímida. Eu discordo. A agitação e a interação com os fãs teve sua dose certa. Não houve tanta enrolação mas também não foi completamente largado, como na última apresentação do Red Hot Chilli Peppers aqui no Brasil (contei tudo sobre esse show aqui). Aliás mal pude me conter quando, no meio da apresentação, ela pede para todos os fãs ficarem quietos. Depois disso ela dá um daqueles sorrisos e grita no microfone "Eu te, amo São Paulo". Foi lindo ♥

Eu particularmente tinha um pouco de medo com relação a escolha das músicas porque, já no quinto álbum e vários singles lançados, fico com receio de ter músicas que são boas para a turnê deixadas de fora. Mas ela inovou dessa vez e deixou os fãs escolherem praticamente o set list inteiro. Tanto é que no dia 30 a mesma disse que, por conta dos pedidos dos fãs na noite anterior, adicionou Hello Heartache à playlist (tem um vídeo da apresentação aqui). Mas fica aqui meu desabafo: achei desnecessário a quantidade de vezes que ela se ausentou dos palcos, isso poderia gerar pelo menos mais uma música. Como Let Go, que ficou faltando e eu ainda estou sem entender o porque. Aliás por conta dos anos de estrada e tudo mais esse show deveria ter no mínimo duas horas e meia, sem reclamar, porque conteúdo tem. Ah, sem contar que dessa vez ela se aventurou pela bateria, coisa linda de se ver.

(Foto: fãs - Imagem retirada da página do site ALavigne)

Uma coisa que não me agradou nem um pouco foi quanto à organização do evento em si. Provavelmente isso só acontecerá aqui em São Paulo. O Citbank Hall precisa melhorar e muito com relação à casa em si. Primeiramente os ingressos. Comprei pela internet no primeiro dia de venda dois ingressos para platéia. Não me deram opção de escolha ou qualquer coisa do tipo. Sequer avisaram, seja no ingresso ou pelo email que é gerado depois da compra, que as cadeiras seriam numeradas. Não me deixaram escolher o lugar que eu ia sentar e sequer avisaram quanto a isso. Ou seja, passei um dia inteiro na fila atoa. Sem contar a parte de organização das filas, entrada e revista que ao meu ver foram um caos total. Completamente feito nas coxas, já diria minha avó. 


Mas mesmo depois de todo esse estresse o show foi simplesmente fantástico. Sinto o peso das minhas pernas no dia de hoje e meu abdome dói por tanto gritar. Além da minha voz que vai custar a voltar. Sem contar a dor por trás dos joelhos e o frio da barriga que, ainda, não passou. Eu já falei uma vez e repito quantas forem necessárias: eu amei, assim como amei o primeiro e o segundo. Cada um teve seu toque especial de Avril Lavigne. Sem contar que só eu sei o quanto suas músicas me ajudaram com os problemas na adolescência, coisa que só de lembrar não consegui conter as lágrimas durante suas músicas mais antigas. Eu espero que, daqui dois anos, possamos tê-la aqui de novo. 

Sejam lá quantos shows acontecerem aqui no nosso país pode ter certeza que estarei presentes em todos eles. E estarão recheados de esperança, lembranças e sentimentos bons dos quais eu jamais me esquecerei. Seu sorriso me encada e sua energia me cativa. Avril, please come back soon. I waiting for you my dear. ♥




Eu tentei tirar algumas fotos e fazer alguns vídeos, mas não deu (hihi). Tem um vídeo no meu Instagram onde passo vergonha ao gritar a música de forma terrivelmente assustadora, porém engraçada. Desculpa, mas minha afinação era o que menos importava naquele momento.

You Might Also Like

0 comentários

Comentários

SUBSCRIBE

Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf
Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf

Todo o conteúdo é criado pela equipe Idealiizar e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada a seu devido autor. Todas as opiniões aqui expressas são de total responsabilidade de seus autores. Declaro que as imagens aqui utilizadas não são de minha autoria, salvo exceções, e que qualquer problema relacionado ao uso indevido de imagem deverá ser encaminhado para idealizar.me@gmail.com.