amor

Carta para um amor sádico – quando eu te amei

14:05

Untitled

Oi, quanto tempo né? Bom, hoje eu tirei o dia para te escrever. Não o dia todo, para falar a verdade, mas tirei um tempinho da minha correria diária para poder te dizer algumas coisas. Não se preocupe, essa não é uma daquelas cartas de amor clichê porque o nosso amor não se parecia com nada disso. Essa carta é só para que você saiba o tipo amor que eu sentia aqui dentro. Essa é uma carta para descrever o que eu amava em você.

Eu não te amava pelas coisas que você dizia e sim pelas atitudes que dava ao longo do dia. Sentia meu coração acelerar de leve, como numa curva, todas as vezes que você tocava Cícero no violão para mim, mas posso te falar uma verdade? Meu coração pulava dentro do meu peito quando você encostava sua cabeça no meu ombro e beijava meu pescoço enquanto víamos algum filme qualquer.

Eu não te amava pelas coisas que você tinha e muito menos por aquelas que você me dava. Não te amei mais depois que me pediu em namoro com a aliança mais cara da joalheria, uma de papel já me faria a garota mais feliz do mundo. Sabe aquele buquê de flores do meu aniversário? Eu gostei, não vou mentir, mas eu gostei mais de quando estávamos andando no parque e você puxou uma folha da árvore mais próxima para que milhares de gotículas de chuva caíssem na minha cabeça e me fizessem sorrir.

Eu te amava pelo seu jeito simples que me tirava do sério. Amava a forma que você olhava dentro dos meus olhos e sussurrava algo baixinho perto do meu ouvido. Seus dedos entrelaçados nos meus e sua camiseta velha me servindo de pijama pela manhã. Posso te dizer? Nunca tive um pijama tão gostoso e que me cabia tão bem. Você também cabia bem aqui dentro de mim, físico ou emocional tu cabia direitinho, garoto.

Nosso amor não acabou, pelo menos eu ainda acredito que não, mas ele precisou de um tempo. Guardo comigo todas as lembranças boas de momentos que não vão voltar. Tento apagar aquelas que insistem em me sufocar, mas infelizmente elas sempre foram mais constantes e presentes na nossa relação.

Eu te amava, garoto. Com seu riso fácil que me ganhava em qualquer briga. Te amava com seu jeito meio torto de levar a vida, seu cigarro meio aceso entre os lábios e o olhar de malícia quando me via tomando sorvete.  Eu te amava além das redes sociais e não me importava nem um pouco com nosso status de relacionamento do Facebook ou a quantidade de selfies que tiramos juntos. Aliás nossa melhor foto foi tirada quando nós sequer estávamos olhando.

Não sou sua metade porque quando te conheci já era inteira. Não sou sua mãe, não sou mais um caso, não sou mais uma que você levou para cama e chamou um táxi no dia seguinte. Eu sou a garota que te amava de verdade. Mesmo você, com todos os seus defeitos e suas manias chatas. Mesmo com toda sua implicância e mente fechada. Mesmo com todas as vezes que me vi trancada no quarto chorando por palavras suas que me rasgavam a alma.

Eu te amava garoto, com toda simplicidade que meu amor me cabia. Mas, sabe de uma coisa, eu cansei de esperar que você me amasse da mesma forma de volta.

You Might Also Like

0 comentários

Comentários

SUBSCRIBE

Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf
Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf

Todo o conteúdo é criado pela equipe Idealiizar e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada a seu devido autor. Todas as opiniões aqui expressas são de total responsabilidade de seus autores. Declaro que as imagens aqui utilizadas não são de minha autoria, salvo exceções, e que qualquer problema relacionado ao uso indevido de imagem deverá ser encaminhado para idealizar.me@gmail.com.