adeus

Se tivesse acontecido em outro tempo - sobre amores certos na hora errada

14:37

i hope you remember | via Tumblr

Cheguei em casa correndo. Abri a porta do meu quarto, tirei toda a minha roupa, liguei o ventilador e me perdi em baixo do cobertor. Eu sentia como se alguém tivesse enfiado a mão dentro do meu peito para me impedir de sentir. A dor estava ali, eu sabia. E eu estava ali completamente nua por dentro em por fora.

Eu me lembro da primeira vez que te vi. Foi como ter por perto tudo aquilo que eu sempre quis em alguém, fisicamente. Até que trocamos nosso primeiro beijo, você me prensou sobre a parede e depois disso ainda tinha pique para discutir diretor de cinema. Era inevitável que eu me apaixonasse por você.

Mas eu fiquei ali, quieta, como um cachorro que espera a porta da igreja abrir para conseguir um lugar mais aconchegante. Eu esperei, mesmo sem nenhuma expectativa, que você me ligasse de volta. Foram duas, três, oito vezes que me vi perdida em seus abraços quentes. Eu não queria sentir. Eu precisava não sentir. Tá bom demais aqui e se as coisas começarem a esfriar eu serei a primeira a partir.

Mas ai, quando dei por mim, já estava perdida em seus encantos.

Era como se cada riso que eu já tivesse travado por medo do som agudo da minha risada saísse de forma natural. Como se todos os beijos que dei fossem os últimos. Todas as vezes que saí da sua cama sem ter um pingo de vontade de ir embora.

E ali, perdida entre travesseiros que eu insistia em molhar. Em suspiros que faziam meu peito doer, como se tivesse presos dentro de mim. Foi como se cada pedacinho do meu coração que se perdeu por ai decidisse juntar de novo. Doía e doía muito.

Comecei a pensar porque as coisas deram certo entre a gente. Porque as coisas simplesmente acontecem. E porque, afinal, tudo precisava desmoronar no último segundo? Porque essa história de sentimento não sabe contar o tempo. Tempo esse que não estava preparado para nós.

Cada música, cada lembrança, cada sorriso, cada dor, cada angústia e todas as minhas borboletas no estômago estarão guardadas assim que o ar voltar a passar pelos meus pulmões como deve ser. Vou te guardar como uma lembrança boa, um sentimento que nasceu mas infelizmente não teve forças para continuar e desviar do nosso passado.

Foi do jeito que devia ser. Sem contar o tempo, sem medir esforços, sem pesar o amor. Simplesmente aconteceu, para ficar marcado.

Porque já dizia o mestre, só o que é bom dura tempo o bastante pra se tornar inesquecível.


You Might Also Like

0 comentários

Comentários

SUBSCRIBE

Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf
Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf

Todo o conteúdo é criado pela equipe Idealiizar e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada a seu devido autor. Todas as opiniões aqui expressas são de total responsabilidade de seus autores. Declaro que as imagens aqui utilizadas não são de minha autoria, salvo exceções, e que qualquer problema relacionado ao uso indevido de imagem deverá ser encaminhado para idealizar.me@gmail.com.