21 de abr de 2015

Série - Orphan Black

add a caption

Neste último sábado saiu o primeiro episódio da Terceira Temporada de “Orphan Black”, e a série voltou com tudo, com mais intrigas, mistérios e troca de clones.

Peraí, você não entendeu nada do que eu disse? Tudo bem porque eu vou fazer um apanhado da primeira e segunda temporada (sem spoilers) para que você também vire um adepto dessa série sensacional.

Exibindo clack.png

Exibindo orphan1.png

No primeiro episódio conhecemos Sarah (Tatiana Maslany), uma órfã criada nas ruas, que testemunha o suicídio de uma mulher exatamente igual a ela. Para dar um golpe, ela assume a identidade da suicida, uma detetive que atuava no departamento de assuntos internos. Vivendo sua vida, Sarah descobre que ela e a falecida são, na verdade, clones que um assassino profissional está determinado a eliminar.

Essa premissa espetacular é apenas a ponte do Iceberg, tanta coisa acontece e é revelada através das duas temporadas, que contem 10 episódios cada. Apesar de a primeira ser melhor, a segunda não faz feio e merece ser assistida. Eu particularmente assisti a primeira em dois dias.

Exibindo ddd.png

Minha indignação vai para o fato de Tatiana Maslany que interpreta todos os clones não ser nem indicada ao Emmy. A interpretação dela é tão sensacional que apesar de terem quase a mesma aparência, esquecemos que são interpretados pela mesma pessoa, tamanha a perfeição de Maslany. Sem dizer os sotaques, com personagens inglesas, americanas, ucranianas, russas, entre outras, ela simplesmente arrasa.

Os atores coadjuvantes também são ótimos e possuem personagens muito relevantes e interessantes para a trama. Principalmente o irmão de Sarah, Felix, um dos integrantes da minha lista de “melhores personagens EVER”. Alem de extremamente engraçado é aquele amigo de todas as horas, um personagem completamente apaixonante.

Exibindo 345344.png

Exibindo 1.png

Os clones principais também são profundamente cativantes, Sarah, a que só se ferra, mas tem coragem para dar e vender, Cosima, a apaixonada por ciência, Allison, a típica mãe do subúrbio, Helena, a “Crazy Bitch” e Rachel, a vaca insuportável.

Aquele tipo de série que você espera que seja ótima e ainda sim supera todas as suas expectativas, sem dizer que Tatiana dá mais que um show de atuação, sim eu faço parte da campanha “Dêem logo a droga de um Emmy para a Tatiana”. E é também aquela série que sempre que me pedem indicações está no topo da lista.

Infelizmente não é muito conhecida por se tratar de uma série canadense, mas deixa muitas produções americanas no chinelo. Viciante, envolvente, estonteante, aquela série que você PRECISA assistir agora.


Canal: BBC América
No Brasil: A&E



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários