amor

Relacionamentos não se medem pelo tempo

10:50



 Untitled

Era para ser mais um daqueles finais de semana de festas na casa da praia com aquela penca de amigos. Mais um final de semana regado a álcool e a coisas das quais eu provavelmente vá me arrepender de ter feito um dia. Aquela coisa de ter histórias para contar sabe? Era para ser mais um final de semana comum, até que eu me apaixonei.

Não posso dizer que encontrei o amor da minha vida num único final de semana que passei longe de casa. Muito menos que nosso amor foi daqueles de cinema, onde tudo é perfeito e termina com um super "e foram felizes para sempre".

Foi mais uma daquelas paixões que começam do nada e terminam sem pé nem cabeça. Aliás foi mais uma daqueles amores que você não faz a menor ideia de como começou e nem o porque terminou, apenas foi assim. Talvez com toda essa coisa de distância, de amores proibidos e do álcool dizendo por mim e por ti, no fim nós acabaríamos com nós mesmo, ou com aquela tentativa de criar um "nós". 

Eu me lembro de você chegar e eu me sentir completamente atrapalhada. Quando fomos apresentados eu fiquei sem reação. Derrubei metade da cerveja que mantinha na boca no meu vestido inteiro. Você riu e eu fiquei em ação e pedi desculpas. 

Quando dei por mim já tinha um guardanapo em sua mão direita e a esquerda mantinha-se no meu ombro enquanto dizia que ia ficar tudo bem. 

Quando dei por mim já tínhamos tomado nosso primeiro porre junto. 

Dormíamos no mesmo colchão e e trouxe café forte para você de manhã na esperança de curar nossa ressaca. 

Lembro de caminharmos sob o luar e conversarmos sobre teorias da conspiração, mesmo sóbrios. Usamos tudo que poderíamos ter usado, bebemos tudo que poderíamos ter bebido, nos beijamos como eu nunca havia beijado. Nós, em apenas uma semana, passamos por todos os estágios que um relacionamento pode ter. Inclusive uma ou duas crises de ciúmes que surgiram durante o dia. 

Aliás foi o meu relacionamento mais significativo, mas infelizmente ele aconteceu com a velocidade infinitamente mais rápida que a velocidade da luz. 

A semana acabou. Fiz minhas malas e anotei o número do seu telefone por pura ilusão. Acredito que ali tenha sido o nosso fim e nós sabíamos disso. Porque esse lance de distância e saudade não fazem muito o meu estilo de vida. Eu preciso estar por perto, sentir-se por perto e amar de perto.

Amar de longe dói.

Fui embora e te deixei ali, naquela cidade praiana onde você sempre viveu junto com o resto do nosso amor de verão que surgiu e ficou espalhado por aquelas areias. Fui embora e te deixei com a nossa lembrança, me desculpe por isso. As vezes você me diz que está com saudade. Talvez nós podemos nos encontrar de novo, em outro tempo, em outra cidade, outra situação. 

Porque naquele dia nós deveríamos ter aprendido que amor de verão não sobe serra.


You Might Also Like

0 comentários

Comentários

SUBSCRIBE

Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf
Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf

Todo o conteúdo é criado pela equipe Idealiizar e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada a seu devido autor. Todas as opiniões aqui expressas são de total responsabilidade de seus autores. Declaro que as imagens aqui utilizadas não são de minha autoria, salvo exceções, e que qualquer problema relacionado ao uso indevido de imagem deverá ser encaminhado para idealizar.me@gmail.com.