25 de jun de 2015

Eu não preciso de você para ser feliz

 Untitled

Quero dizer que eu não preciso de você, não mais. Não que eu não sinta falta. Daquilo que éramos, daquilo que desejavam os ser. Mas eu não preciso te colocar em cada segundo do meu dia para conseguir sorrir, como fora outrora. Não preciso de juras falsas de amor em redes sociais e fingir que somos algo que nunca fomos. Aprendi a sorrir sozinha. Eu não preciso de você. 

É como se alguém tivesse apagado todos os meus desenhos do jardim de infância numa borrachada só. Plaft! Quando dei por mim tudo aquilo que estava rabiscado, todos os rascunhos mal escritos, toda a vida que tinha desejado para nós estava em pedaços espalhados pelo chão. Eu sinto sua falta, mas não preciso de você.

Se for pelo sexo, a lista de pretendentes é bem cheia. Qualquer um podem ocupar o seu lugar, suprir a falta que você me faz e me deixar com a cabeça voando durante um almoço qualquer da empresa. Qualquer outro cara poder chegar e sentar na minha frente enquanto tomo meu combo de café+muffim na Starbucks mais perto. Qualquer um pode me fazer acreditar no amor de novo. Eu não preciso de você.

Aprendi a guardar meu coração em várias gavetas dentro do peito. É fácil, já estava tudo em mil pedacinhos mesmo. Então, tudo aquilo que eu te dei foi apenas uma, das milhares de partes, que decidi guardar comigo caso você decidisse ir embora. Porque amor ficou, e ficou bastante. O suficiente pra não precisar de você

Mas o problema é que eu insisto. Sinto falta daquele pedacinho de mim que ficou aí guardado em ti. No fim do dia, entre as inúmeras mensagens e convites para a cerveja na próxima sexta feira, eu descubro que gostaria que um deles fosse seu. Que eu negaria todos os outros caso isso acontecesse, e Não tentaria encaixa-los na minha agenda abarrotada de encontros casuais.

É no fim do dia que, ao deitar a cabeça no meu travesseiro, as lembranças boas me invadem a mente e me fazem sentir uma puta falta. Caralho cara, como sinto sua falta. Mas o meu maior problema é ainda não ter conseguido te deixar partir.

Eu de você aproveitava. Aproveitava essa chance que deu para o amor, o nosso amor. Meio bagunçado e cheio de incertezas mas que tiram qualquer Shakespeare apaixonado do sério. Então quer uma dica? Não me perder não. Porque eu não preciso de você mas tenho recreio de não estar mais disponível quando você precisar de mim.



2 comentários:

  1. Muito bom esse post, meus parabéns.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir

Comentários