resenha

Série: Narcos

11:43

Vicki Ribeiro

Está aí mais uma maravilhosa série da Netflix que amei, viciei, virei uma obcecada e enchi o saco de todo mundo para assistir.


Na verdade a maioria das séries que vejo em maratona fico fissurada, porque assisto tudo de uma vez, me apaixono e não paro mais de citá-la, e acho que ninguém mais na minha casa aguenta me ouvir falar de Narcos. E claro que a maioria dessas series são as da Netflix, por conta dessa característica de lançarem toda a temporada de uma vez fazendo com que a experiência seja muito melhor.

Se você ainda não começou essa maravilha de apenas 10 episódios, deveria. As atuações são excelentes, todos os personagens são cativantes e interessantes, e claro que o destaque é Wagner Moura monstruoso no papel do traficante Pablo Escobar.


Wagner que ganhou 20 kilos para o papel está realmente fantástico, a frieza do personagem em contraponto com seus momentos mais dramáticos e comoventes com a família são interpretados com maestria. Sim, tem toda aquela “polêmica” envolvendo o seu espanhol, mas não entendo espanhol e muito menos sou especialista para criticá-lo então para mim estava normal, não me atrapalhou à assistir, para falar a verdade até gosto mais da língua após assistir a série que felizmente respeita muito o idioma original invés de traduzir tudo para o inglês.


O ritmo dos episódios é ótimo, não é devagar nem frenético, é calmo, no seu tempo, mas você não perde o foco e nem se cansa, apesar de quase 1 hora de episódio no caso do piloto e a beira dos 50 minutos nos demais. Os eventos que vão ocorrendo nos episódios são geralmente com um intervalo grande de tempo, mas fica tudo colarinho, montadinho. Às vezes também ocorrem os saltos no tempo e ficam fora de ordem cronológica, mas calma, você não se perde, nem se confunde, é tudo bem certinho e explicado e como já disse montadinho, e você vai cada vez ficando mais ansioso, não dá vontade de parar.

Só tem uma coisa que me irrita no primeiro episódio, há uma cena com prostitutas, e qual a nacionalidade delas? Brasileiras. Por que sempre precisam ser brasileiras? Porque não chilenas, bolivianas, colombianas, ou sei lá, marcianas? Enfim, é apenas um detalhe, mas eu precisava citá-lo. Continuando...


A narração feita pelo personagem agente da DEA Steve Murphy (Boyd Holbrook) é muito boa, gostei. Nem sempre gosto das "explicaçõeszinhas", gosto de desvendar sozinha a trama. Mas nesta serie é boa e necessária, ou eles levariam muito tempo para apresentar todo aquele mundo e todas as facções, alianças, etc e ficaria chato e arrastado ou eles continuariam no mesmo ritmo e você não entenderia nada, então foi bom a introdução da narração e é bem usada, sem chegar a irritar com coisas óbvias como em "Outlander". E ponto para Murphy e Penã (Pedro Pascal, o Oberyn de Game of Thrones) que fazem uma ótima dupla.


A produção da série é fenomenal, claro que por se tratar de uma série original Netflix não se esperava menos, suas produções são invejáveis sempre. Quando sei que a serie é da Netflix já vejo confiante e sem medo, confio plenamente assim como na HBO.


O envolvimento de José Padilha é a cereja do bolo, ele não dirige todos os episódios, apenas os dois primeiros, mas é o produtor executivo da série, então você consegue ver seu dedinho talentoso em muitos momentos. Como a sensacional perseguição do sétimo episódio, onde há takes e planos que até mesmo lembram muito "Tropa de Elite", aquela câmera em cima e na mão, seguir o personagem por trás, e depois "ir pela frente" esperando o personagem surgir em cena, e a narração é claro. Na verdade dá para ver bastante singularidades que lembram Tropa, como o “interrogatório” do segundo episódio e por aí vai, e isso não é algo ruim é claro, é muito bom encontrar e lembrar essas "referências". Também temos o diretor brasileiro Fernando Coimbra, responsável por "O lobo atrás da porta" na direção de alguns episódios.


As imagens e vídeos reais também são muito bem aproveitados. Imagens, áudios e vídeos impactantes que te deixam muito mais interessado e chocado.


Narrativa incansável, roteiro ágil com frases memoráveis e uma trilha muito cativante que combina com a obra, já se consagrou como uma das melhores do ano. O tipo de série que merece ser maratonada no fim de semana.

E sabe o que me deixa mais feliz? Isso aí:


Avisa a fronteira que o carregamento ta chegando! haha




You Might Also Like

2 comentários

  1. ai adorei, eu já ouvi muito sobre essa série, e quero assistir, estou terminando a 4 temporada de scandal no netflix e quando acabar já vou ver narcos.
    rebeldiaemv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma ótima dica né Marjorie? Fico feliz que tenha gostado. Assista siim depois vem contra ra gente o que achou.

      beeijo <3

      Excluir

Comentários

SUBSCRIBE

Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf
Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf

Todo o conteúdo é criado pela equipe Idealiizar e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada a seu devido autor. Todas as opiniões aqui expressas são de total responsabilidade de seus autores. Declaro que as imagens aqui utilizadas não são de minha autoria, salvo exceções, e que qualquer problema relacionado ao uso indevido de imagem deverá ser encaminhado para idealizar.me@gmail.com.