2016

O que trazer para 2016?

12:57

Imagem de train, travel, and adventure

Todo ano é a mesma coisa. São as sete ondinhas que pulamos na virada, as sete uvas que engolimos com champagne e as inúmeras promessas de começar uma nova dieta depois de ter abusado do pernil de natal. É normal esperar que a troca de ano nos traga sentimentos novos que não conseguimos experimentar no anterior. É normal prometer, mais normal ainda é não cumprir. Mas quer saber o que eu aprendi no ano passado que com certeza vou levar para esse, e todos os outros anos da vida? Então se liga.



NÃO REPRIMA SEUS SENTIMENTOS

Não vou negar (  ) que sou louca por você / ( x ) que sou uma pessoa bem difícil quando o assunto é esse. Mas se tem uma coisa que eu aprendi é não reprimir, isso só faz mal à nós mesmos. Então se ser raiva, converse. Se for amor, exponha. Se der ciúmes, diga. Se der saudade, peça para o outro ficar mais um pouquinho. Somos seres humanos e não leitores profissionais de mentes alheias. Então, no fim, conversar sempre vai ser a melhor solução.



O CHOCOLATE DE ONTEM NÃO PESOU TANTO ASSIM

Como quase todo mundo no início de 2015 eu prometi que levaria uma vida mais saudável. Mas isso não foi da noite pro dia. Comecei aprendendo mais sobre mim e sobre meu consumo. Sobre aquilo que eu queria e aquilo que eu realmente precisava. E, acima de tudo, aprendi que aquela escorregada de vez em quando não faz mal algum se você tiver sido uma pessoa mais saudável no resto da semana. É aquela coisa: durante a semana dieta do alface, no final de semana BK e Pizza Hut. É preciso aprender que o equilíbrio é essencial para manter a saúde e que se fodam os padrões da sociedade, porque você pode usar 36 ou 48, o que importa realmente é estar bem com você mesmo.



COISAS RUINS ACONTECEM PARA QUE BOAS POSSAM TOMAR SEU LUGAR

Já tomou um pé na bunda que doeu bastante? Aí, depois de tanto sofrimento, finalmente apareceu alguém legal e você sequer lembra daquela bota que te chutou mundo afora. Se não apareceu ainda, relaxa que ele vem. Porque esse é um dos principais sentidos da vida. As coisas boas acontecem para manter a facilidade em movimento. As coisas ruins acontecem para provar que as coisas boas são realmente boas. Então não se desespera. Não agarre uma segunda opção porque a primeira não deu certo. As vezes não deu certo hoje, mas que tal deixar para amanhã? Se te fizer feliz meu amigo, vale a pena correr atrás dessa felicidade todos os dias.



FAÇA O QUE VOCÊ AMA

Seu emprego é chato mas você precisa dele, né? Espero que já tenha feito planos para não precisar mais. Enquanto espera aquele curso terminar, o processo seletivo daquela empresa abrir ou o visto ser liberado que tal tornar os dias mais leves fazendo algo que se gosta? Caminhe mais, observe mais o céu de manhã, acorde mais cedo para não sair correndo todos os dias até o escritório. Aproveite ao máximo cada momentinho do seu dia, vai valer a pena. Sabe o que fazer enquanto estamos esperando? Divirta-se! Leia um livro novo enquanto estiver no trânsito, dê uma cantada naquele gatinho da sala do lado, descubra que seu sorriso tem um super poder. Ele pode não muda o mundo todo, mas ele muda o o seu mundo. Não vale a pena tentar?



SE APAIXONE MUUUUITO

Por você, pelos seus  amigos, pelo boy do a dar de cima ou pela garota dos seus sonhos que pega o mesmo metrô todos os dias. Se apaixone por um livro novo, um curso que você sempre quis, pelo cachorro da vizinha. Se apaixone por um sorvete, pelo carrinho de churros, pela aula de jazz da sua sobrinha. Se apaixone muito, por tudo! Porque o amor é tudo. E tudo que você faz com ele só melhora o mundo.


Ah, quer saber? Aprendi tanto em 2015 que não cabe num post só. Apenas desejo que você aprenda tanto quanto eu e que esse ano seja um dos mais incríveis para todos nós!

Então, para 2016, que tal menos promessas e mais mangas arregaçadas em busca de algo que te arranque o riso fácil? Vai, não é difícil ser feliz. Difícil é suprir as expectativas que temos de felicidade.

De resto: be happy in 2016!!!!



You Might Also Like

6 comentários

  1. Oi...adoro seu blog!
    Você tem razão reprimir sentimentos é muito ruim, as outras pessoas ás vezes não tem como saber o que sentimos se não nos expressamos e faz muito mal guardar tudo para si. Amei o post! Gostaria de participar da sua campanha Stop Bullying!Acho muito importante lutarmos para combater esse e qualquer outro tipo de violência.
    Beijos.

    http://pensamentosparaomundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Paula! Exatamente isso, colocar para fora é sempre melhor do que ficar remoendo até enlouquecer, né?

      Beijos linda <3

      Excluir
  2. Adorei flor <3 Parabéns!
    sabrinapratesblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Essa coisa do equilíbrio eu aprendi neste ano que passou. Hoje já não me torturo mais pelo sorvete do fim de semana.
    Tudo que acontece de 'ruim' em nossa vida serve para tirarmos lição. Da lição sempre vem algo bom!

    beijos
    http://jurodemindinho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É magnífico, né?
      Espero que você continue se mantendo em equilíbrio, nada é tão bom como estar bem consigo mesma

      Excluir

Comentários

SUBSCRIBE

Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf
Todo o conteúdo é criado pela equipe do blog e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada ao seu devido autor. - See more at: http://www.raiannymartins.com/2014/03/cartas-para-o-meu-primeiro-amor-mais-um.html#sthash.F1Ctpv9o.dpuf

Todo o conteúdo é criado pela equipe Idealiizar e qualquer cópia total ou parcial deve ser creditada a seu devido autor. Todas as opiniões aqui expressas são de total responsabilidade de seus autores. Declaro que as imagens aqui utilizadas não são de minha autoria, salvo exceções, e que qualquer problema relacionado ao uso indevido de imagem deverá ser encaminhado para idealizar.me@gmail.com.