26 de fev de 2016

Sexo sem Tabu - Pelo direito de transar livremente (+18)



Talvez você seja da turminha que detesta mulher rodada e acha feio vê-las beijando vários na balada. Teu senso de posse e propriedade não aguenta saber que ela goza muito e várias vezes ao ano. Que agora mesmo ela pode estar chupando gostoso num motel barato. Que antes de você uma dúzia de caras também apalparam aqueles seios grandes. Que ela já deve ter feito de tudo (tudinho).

Tu quer uma mulher exclusiva - ou pelo menos reservada. Dessas que transam o mínimo, semi-novas, sem marcas (no corpo e na alma). Uma mulher que não tenha vida sexual ativa e que te conceda prazeres inéditos. Anal pela primeira vez, sonho de consumo. Mas isso não rola se ela for rodada. Essa já deu faz tempo, você imagina.

Talvez você seja esse tipo de cara. O que não aceita a ideia de que mulheres gostam de transar livremente - e podem transar quando bem entenderem e com quem elas quiserem. Mas talvez você seja apenas mais um dos que escolheram esperar e - por mais que eu não veja sentido - não vou te julgar por isso. Agora, se for o babaca-pegador que adora traçar novinhas, a conversa é outra.

Homem rodado é bonitinho, né? Garanhão, dominador, mamãe-passou-açúcar-em-mim. Só que não. Direitos iguais não é querer que você, homem, pare de se relacionar livremente com outras pessoas. Ao contrário, é lutar para que todo mundo tenha o direito de transar livremente sem que isso resulte numa imagem negativa. Se você não gosta, não fode, vaza. Simples, rápido e eficiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários