15 de fev de 2016

Só podia ser mulher

Imagem de strong, power, and boy

Ta aí uma expressão, típica da cultura machista brasileira, que deveria ser utilizada como elogio e não expressão pejorativa para definir a mulher.

Tinha que ser mulher, para poder dar a cara a tapa no escritório e assumir a postura de chefe, mesmo que os funcionários fiquem de piadinhas sobre sua vida sexual dentro do escritório com o novo diretor para conseguir subir de cargo.

Tinha que ser mulher, para trabalhar oito horas fora de casa e as outras 16 dentro dela. E ainda ter ânimo para assistir desenho dos os filhos, pintar com tinta guache ou qualquer outra aventura que entre tenha os pequenos.

Tinha que ser mulher, para aguentar todos os transtornos menstruais e ainda sorrir quando algum idiota coloca a culpa no seu ciclo porque ela esqueceu de enviar o relatório na última sexta feira.

Tinha que ser mulher mesmo, para sentar na mesa do bar rodeada de amigas e não se importar se está ou não sendo analisada pelos porcos da mesa ao lado. Com ela é cerveja gelada, riso frouxo e cabelo solto.

Tinha que ser mulher mesmo, para tomar xingamento do trânsito quando na verdade o carro da frente é quem está fazendo merda. Tinha que ser mulher para ser julgada pela cor do seu cabelo e, ainda assim, se sentir linda ao se olhar no espelho.

Tinha que ser mulher, para fazer o que quiser da vida. Seja tatuadora, seja designer, seja mecânica, seja astronauta. Porque um dia disseram que "lugar de mulher é..." mas ela ignorou o resto da frase e concluiu que "é onde ela quiser!"


2 comentários:

Comentários