14 de abr de 2016

Carta aberta ao cúpido: por favor, pare!

Imagem de girl, wings, and angel

Eu não lhe peço muito, apenas que não erre essa fecha. Peço para que sua miopia não tenha piorado, que você não esteja bêbado como da última vez, vendo cores e sentido sabores estranhos por conta de um LSD vencido, como na anterior e muito menos vendo a vida mais bela, leve e colorida depois de fumar todas na vez antes dessa. 

Cara, você já me fodeu muito. 

Espero que não atinjas esses pobres coitados que não sabem amar. Esses mesmos que estraçalham o coração de quem só está ali para lhes dar carinho. Espero que você não esbarre em mim, mesmo sóbrio, e tente me atingir novamente, porque esse peito se fechou para balanço desde a última vez que você me flechou. 

Quando me encontrar de novo, numa esquina qualquer enquanto busco o pouco de mim que sobrou aqui dentro, não pergunte porque estou fugindo de você, olhe para trás e veja quantas vezes tive que me recolher por conta de uma cagada sua. 

Acerte seu próprio peito da próxima vez, sinta na pele tudo aquilo que eu senti das outras vezes, antes de querer apontar sua mira para de novo para essa garota aqui.

Antes dele chegar eu era um simples copo d'água, graças a você me tornei um furacão. E agora, quem pode segurar essa jorrada de vento?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários