2 de jun de 2016

Quer saber? Já vai tarde

Imagem de girl, fuck you, and fuck

É muito fácil desejar um relacionamento livre de esteriótipos, de preconceito, de rótulos sociais. É fácil pregar pelo amor pelo outro quando lhe convém, enquanto o abraço ainda é fresco e a cama continua quente. Mas confiança mesmo a gente adquire depois da primeira discussão feia, quando o outro não vai embora, quando o mal entendido é apenas isso. A gente pega a confiança quando o outro volta por você, mas não por submissão e sim porque o conserto, as vezes, é necessário.

Eu confiei em você antes da cama esfriar e o abraço ficar solto. Eu confiei em você antes mesmo de você ser merecedor dela. Mas que culpa eu tenho de sempre tentar enxergar o amor?

Eu nunca imaginei que você fosse abrir a porta de casa e sair sem sequer olhar para trás. Se você soubesse quão ruim é esse sentimento talvez teria pensado duas vezes antes de fugir dos nossos problemas como um cachorrinho mimado. Dói, não vou mentir. Talvez esteja doendo muito mais do que das outras vezes. Talvez eu precise de uma garrafa de vodka e quatro amigas que topem tudo pra me deixar feliz. Mas a certeza que tenho: quem perdeu querido não fui eu, foi você.

Você pode ter perdido a mulher da sua vida e sequer sabe disso. Perdeu seu apoio, seu sexo gostoso e seu ombro amigo. Eu te dei o que eu podia, mas você não foi forte o suficiente para carregar esse amor com você. Então ja sabe, quem perdeu foi o sapo e não a princesa.

Então saiba, querido, que não desejo mal algum a quem me fez feliz. 

Vá, sabendo que não estarei mais aqui quando você decidir voltar. Porque, quando a saudade apertar eu sei que é aqui que você vai querer estar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários