29 de ago de 2017

Seu amor é uma droga

Imagem de love, cigarette, and smoke

Quando você vem e chega de mansinho, como quem não quer nada, aí é que mora o perigo. Eu sei que, hora ou outra, seus braços vão ficar enrolados aos meus, sua barba áspera que faz a minha boca ficar vermelha - coisa que eu nem gosto. Sei qual é o gosto da sua pele macia quando eu passo a língua no seu pescoço, e você se arrepia inteiro. Sei que, um hora ou outra, vamos acabar transando e, como de costume, vou recolher os cacos sozinha no chão frio. 

Não quero mais.

Para mim já deu. Para no próximo ponto, motorista, que eu quero descer. Já chega disso tudo.

Como um viciado, que para de usar sua droga diária de uma hora para outra, vai me fazer falta. Falta do seu sorriso, do seu cheiro e do seu beijo. Das suas palhaçadas que nem tinham tanta graça, a gente só ria para inflar teu ego. E bota ego nisso. Vou sentir falta do arrepio na espinha todas as vezes que eu te via em alguma festa. Mais, como toda recuperação, vou sair viva dessa. 

Mais viva do que quando tu me conheceu. Mais viva porque, a partir de agora, vou começa a viver de verdade. Achar um cara que me dê o valor que eu mereço, e deixar de ser só mais uma na sua listinha de desejos e, acima de tudo, ser feliz. 

Vai ser difícil no começo. 

Vou pensar em te ligar e vomitar horrores.

Mais, como eu disse antes: seu amor é uma droga, e eu estou cansada de ser dependente.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários