9 de jan de 2018

Literatura nas telonas - Cidades de Papel


Faz um tempinho que queira escrever sobre a outra adaptação para o cinema de John Green. Pra quem vive no mundo da lua, ele escreveu o famoso, que eu acredito que tenha sido o primeiro sucesso dele, no cinema e da literatura, "A culpa é das estrelas". Que é um filme incrível também, mas falo sobre ele em um outro post. Prometo!

Cidades de Papel conta a história de Quentin e Marlo, basicamente. Desde seus nove anos Q., apelido carinhoso, é completamente apaixonado por ela. Em um dia, quando eles ainda eram crianças, Marlo foi ao quarto dele e o convidou para uma aventura. Desde então eles foram se afastando cada vez mais, o que deixava Q sem saber o que fazer e como agir para burlar aquela situação que era muito constrangedora.

Cidades de papel

Depois de um tempo Marlo, já com seus 17 anos, aparece na janela dele e o convida para uma aventura. W pega o carro dos pais, saí escondido e tem uma das melhores noites da sua vida. No dia seguinte ele achava que a sua atitude de sair no meio da noite iria mudar a forma que Marlo pensava dele. Só que ela não apareceu. Em nenhum dia daquela semana, nenhum dia daquele mês. Quentin acha algumas pistas que ele acha que ela deixou para que ele a seguisse, e vivessem felizes para sempre. 

Nem preciso dizer que as escolhas como protagonistas para o filme foram incríveis, né? Cara Delavigne como Marlo, Nat Wolff como Quentin. Halston Sage como Lacey, Austin Abrams como Ben, Justice Smith como Radar e Jaz Sinclair como Angela. Todos eles fizerem seu papel muito bem. "Ah Tayla, mas eles são atores", posso contar nos dedos quais são os atores que fizeram mais do que o esperado.

Cidade de Papel!

Nat já tinha feito A Culpa é das Estrelas com o papel de Issac e Death Note com o papel de Light Tunner, acredito que esses sejam os papeis principais dele que só tem a crescer cada vez mais. Posso garantir que não se vê nem Issac nem Light em Nat, o que é muito bom. Cara Delavigne já tinha feito outros filmes anteriormente, sua estreia foi em 2012 no filme Anna Karenina, mas ela não foi a personagem principal. Cidades de Papel abriu diversos caminhos para Cara, antes ela era modelo que abandonou a carreira como forma de reivindicar os tratamento pela quais as modelos passam para "ficarem perfeitas". Vale um post disso, que tal?

CARA DELEVINGNE E NAT WOLFF NO FESTIVAL DE CINEMA-CON 2015

A crítica achou esse filme como todos os outros romances de adolescentes: é, até que é bom, sabe? Mas os fãs de John Green, da Cara e do Nat adoraram. Vale muito a pena! Pega uma pipoquinha, assiste a esse filme incrível e venha me contar depois. Que tal?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários