30 de jan de 2018

Por onde andei - Sozinha (parte 1)

Prainha da Barra, Florianópolis, SC, 2013.


Sempre tive o sonho de viajar com apenas um mochilão nas costas. 

Mas eu tinha medo. 

Todo mundo - minha família, meus amigos, meus namorados, a mídia, TODO MUNDO - me enxergava como frágil, então eu me sentia frágil. Muitos anos se passaram desde que comecei com essa ideia, com sonhos de viagens distantes e grandiosas e nada de concreto resultou disso, hora porque não tinha grana, hora porque não tinha tempo, ou não tinha companhia. 

Outra coisa que sempre dificultou essa minha empreitada pela independência é a depressão, que me acompanha desde a infância. E por mais que hoje eu a encare e lide bem com ela, minha visão de mundo sempre foi deturpada por essa doença, mas eu tive que aprender a não permitir que isso me impeça de fazer o que quer que seja, como tantas vezes já impediu. E mais uma verdade seja dita: sou de uma cidade do interior, ainda que minha linda e amada Piracicaba fique a apenas duas horas de São Paulo e tenha quase meio milhão de habitantes, ainda assim carrego o peso e o sentimento de ser do interior. 

Isso complica um pouco a vida, dificulta o acesso ao mundo, não simplesmente pelas distâncias, mas pelos medos que colocam na gente - principalmente e obviamente se você é mulher. 

Até que comecei a quebrar esses paradigmas e fiz minha primeira viagem sozinha para Florianópolis (SC), em 2013. Eu já contei um pouco dessa viagem aqui, o que não contei é como foi uma aventura ter viajado sozinha pela primeira vez, aos 20 aninhos. Peguei ônibus de minha cidade até o aeroporto Viracopos, em Campinas, de lá peguei o voo para esta maravilhosa ilha da magia. 

No aeroporto entreguei um papel com o endereço de um amigo do meu ex namorado, que na época já era meu ex, que eu tinha visto uma ou duas vezes na vida. O engraçado de como essa viagem se concretizou é que eu estava em um vai e volta nada saudável com meu ex e tínhamos brigado feio nessa época, porém, com minhas férias chegando, fui falar com ele para saber se o dito cujo ainda tinha interesse de viajar comigo. 

O que ele me disse eu não esqueço: "faça seus planos sozinha e me deixe em paz!". Bom, foi o que eu fiz, afinal não queria contraria-lo. Comprei a passagem e entrei em contato com o amigo dele, que já havia nos convidado várias vezes para nos hospedar em sua casa, prontamente ele aceitou me receber sozinha também. 

Assim eu fui, com uma mala de rodinhas e o c* na mão. 

Meu anfitrião era estudante, me apresentou para os amigos e eu me senti muito acolhida, me permitiu conhecer sua rotina, seus rolês, sua faculdade. Isso me encanta em viajar: conhecer a vida e o ritmo das pessoas que moram em diferentes lugares. Eu amava fazer coisas simples e até meio estúpidas, como ir a padaria e ouvir o sotaque dos "manés da ilha", como se auto intitulam com muito orgulho os moradores de Florianópolis, enquanto erroneamente eu pedia por um "filão", como chamamos o pão francês aqui na minha terra. 

Choveu muito naquela época, era o mês de abril, mas quando a chuva deu uma trégua, na minha segunda noite, estávamos em um pub na Barra da Lagoa e decidiram ir para Praia da Joaquina, com o pretexto de me batizar, afinal eu ainda não tinha conseguido ir a uma praia sequer. Entramos no mar e quase congelamos depois, mas valeu a pena. O céu estava limpo e estrelado. Em outro raro dia de sol, passamos por várias praias, mas acabamos parando na prainha da Barra, um lugar maravilhoso com direito a por do sol de cima das pedras.

Na época, eu pretendia prestar vestibular lá na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e fiquei encantada também quando conheci o campus. Minha vida deu várias voltas e no final das contas acabei tomando outros caminhos e prestando outros vestibulares que me levaram até a UNESP em Araraquara, mas isso é assunto para outro post. 

Espero que tenham gostado dessa primeira parte do por onde andei sozinha, logo conto mais das minhas pequenas (por enquanto) andanças solitárias!

Vocês já viajaram sozinhos? Conta pra gente como foi essa experiencia ♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários