20 de fev de 2018

Foi bem fácil te esquecer... ou quase



Tem dias que eu fico aqui, quase que coberta de glitter, pompons e um salto 15 para te impressionar, mas você finge que não vê. Olha lá mais um amigo seu, vai lá falar com ele enquanto eu tomo um chá de cadeira esperando você voltar. Isso é, quando você aparece.


Vez ou outra fiquei te esperando por horas, para depois me ligar e pedir desculpas porque tinha surgido um imprevisto no trabalho. Eu já sei a voz que você tem: quando bebê demais e quando está mentindo. Acreditei na primeira. Me desconfiei na segunda. Mas a terceira foi o fim.

Existe um ditado, ou uma frase perdida entre as pichações nos muros da cidade que diz: de tempo para quem tem tempo para você. E foi isso que eu fiz. Tirei as minhas amarras de você e fui ser feliz, como eu nunca tinha sido na vida.

Se você pensa que te desejo algo ruim? Pelo contrário. Que você encontre alguém que faça o mesmo com você daquilo que fez comigo. Que te chama para sair e não apareça. Que te diz várias coisas, várias promessas e não cumpre uma se quer. Que ela foda com o seu coração igual você fodeu com o meu.

Quero uma cerveja gelada para quando isso finalmente acontecer.

Desculpa a gargalhada é o álcool que me deixa assim.

Com riso fácil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários