9 de out de 2018

Ontem eu chorei de amor



Ontem foi a primeira vez, depois de muito tempo, que eu chorei de amor. Eu sei que disse aqui, e para minhas amigas e em vários posts em todas as redes sociais, que o amor de verdade não dói. Eu continuo acreditando nisso. Claro, as vezes a gente briga com quem amamos, porque todas as pessoas são diferentes uma das outras - ouvi um amém? - é acaba sendo normal chorar e ficar triste.

Mas ontem, depois de muito tempo, eu chorei não por causa de um amor e sim pela expectativa que eu mesma coloquei naquele romance, que sequer existiu - ainda.

Ta vendo como são as coisas? 

"Não existiu, ainda".

A gente passa a projetar no outro o que queremos ter nas nossas vidas, o que é péssimo. O outro tem as suas escolhas, tem a sua vida e ta tudo bem. Se quiser a gente pode viver ela juntos, ou não. Se quiser a gente pode construir vários sonhos, e desistir deles, juntos. Mas é certo que cada um tem a sua vida, cada um sabe quais são as escolhas que o fazem feliz e ta tudo bem.

Não adianta forçar algo que não da liga. Fica aquela massa gosmenta, com mais água do que farinha. Não adianta colocar todas as expectativas no outro e esperar que ele cumpra algo que era unicamente um problema seu. "Toma de presente esse problema porque cansei dele", não. 

Isso nunca foi e nunca será certo.

Acredito sim no amor, embora ele tenha me dado vários chapéis desde que nos conhecemos. 

Não acredito que exista uma tampa da panela, afinal se todos formos panelas? 

Ou frigideiras? 

Não faz sentido algum.

Acredito sim que exista alguém que vai mostrar para nós um lado que não conhecíamos. Que vai fazer com que a gente cresça e o outro também. Nenhum relacionamento é perfeito mas existem pessoas que vale a pena lutar para ficar junto.

Agora eu sei qual amor vale a pena lutar e qual vou ficar patinando sem sair do lugar. Esse amor é todo seu, menino. Confia, sua doidera se parece tanto com a minha. Boto fé, e tu?

Um comentário:

Comentários