18 de dez de 2018

Precisamos falar sobre a Bruna Vieira

(Imagem: Pinterest)

Quem me acompanha aqui desde o começo sabe disso: eu criei o Idealiizar com uma dose fortíssima de inspiração da Bruna Vieira. Acompanho ela desde 2012, se não me falha a memória. Sempre tive uma enorme admiração por ela. Por mais que  ela seja mais nova, eu aprendi várias coisas com ela, como o amor próprio e me aceitar meus cachinhos. Afinal, podemos sim aprender coisas com gente mais nova, só nos basta entender que não somos os donos do mundo por conta da idade. Se você pensa assim, está sendo só mais um babaca nesse mundo.

Enfim, eu já vi a Bru namorar algumas vezes desde que eu comecei a acompanhar o Depois dos Quinze. Eu acho que isso é uma coisa tão maravilhosa, porque ela realmente se entrega ao amor de uma forma que eu não sei explicar. Sempre era como se ela fosse passar a vida inteira com aquele garoto. Porque ela se entregava, sem medo de ser feliz.

No último término, eu falei para minha irmã "nossa tadinha dela" e ai ela respondeu, doce como um coice de mula, "tadinha? Eu nem sei o que aconteceu. É muito melhor ficar sozinha e feliz do que presa com alguém que não merece uma gota de amor se quer".

Tapa na cara que você quer @?

Eu que sempre fui tão feminista, mesmo quando nem sabia o que era isso, que me tornei um tanto quando machista nesse comentário, concorda? Não sabemos o que aconteceu então não temos o direito de palpitar na vida do outro.  E digo isso para qualquer pessoa. Quando terminei com meu ex as pessoas me diziam que íamos voltar, que era só uma fase, as legendas das fotos que postávamos juntos eram tão maravilhosas que nós amávamos de verdade. Mas posso dizer uma coisa? As redes sociais mentem mais do que aquele cara que diz ter sonhado com você.

Todas as vezes que brigávamos, ele postava uma foto com uma legenda de cair de amores. Não estou tirando a minha culpa da reta, jamais. Mas vocês sabiam que o que tínhamos era um relacionamento abusivo? Não tiro o meu da reta porque eu errei também.  Eu que permiti que o outro me tratasse daquela maneira porque eu mesma me via daquela forma.

Esses dias, a Bru postou uns stories em que ela dizia que todo amor que ela depositava naquele relacionamento ela estava depositando nela mesma. Chorou, descabelou, comeu muito sorvete assistindo filmes românticos e depois ela percebeu que tava tudo bem. A vida deles seguia, mesmo que por rumos diferentes ela seguia. E tá tudo bem, né?

Hoje percebo que ela está muito mais alegre e feliz. Percebo que, aquela felicidade de antes, talvez não fosse dela mesmo, talvez fosse uma máscara que ela vestia ao acordar porque era o trabalho dela. Hoje eu percebo que eu nunca vi a Bruna tão feliz.
 
Hoje ela segue sendo ela mesma, e tudo bem" Quem gostar que a acompanhe, quem não gostar... ta tudo bem também.

A vida tem dessas, às vezes.

As redes sociais tem muito disso.

Então, não vamos acreditar que um casal é feliz pelas postagens que vemos na internet.

Em casa, na mesa, em baixo dos lençóis a coisa muda, e muda MUITO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários