29 de jan de 2019

Desde quando você se foi...

(Imagem: Pinterest)

Eram três horas da manhã e eu ainda não tinha conseguido dormir.  Virava de um lado para o outro na cama, sem saber o que fazer, sem saber o que pensar. Eu não chorei, aliás desde as nossas últimas brigas eu não chorava mais. Será que este era realmente um ensaio sobre a ausência que você deixaria aqui dentro? Será que eu já não me importava mais se você fosse embora, quando fosse me deixar?

Eu estava bem plena, apenas pensando.

Sabe quando você pensa, pensa e pensa mas, ao mesmo tempo, não pensa em nada? Chegava a ser engraçado isso porque, todas as vezes que você esteve aqui eu jamais tinha me permitido sentir isso de novo.

E eu ri, com essa lembrança. 

Quando terminamos, sempre vemos o vazio que a pessoa deixou em nós. Era exatamente isso que eu pensava. Aliás, pensei muito até que divaguei de novo. Eu deveria estar muito bêbada porque eu não conseguia manter uma linha de pensamento.

Eu não chorei.  Nem naquele dia, nem no outro que você finalmente bateu a porta do carro e foi embora. Eu me senti a pessoa mais liberta no momento em que você partiu. Sim!! Agora eu poderia pensar mais em mim. Fazer todas as coisas que você julgava sujas e que eu fazia antes de te conhecer. Eu via um mundo de possibilidades bem ali, no momento em que você partiu.

Mas cara, ta tudo bem. Eu aprendi a me virar sozinha. Não deixei uma planta morrer e ela ficou até mais radiante. Não esqueci de lavar a louça, não esqueci o ferro ligado na minha camiseta preferida e não esqueci de comprar shampoo.  

Eu tava, finalmente, viva de novo!

E isso, foi o melhor presente que você poderia me deixar: me dar de volta a vida que eu perdi assim que eu te beijei pela primeira vez.

Ligação perdida tua? Desculpa, meu amor. Estou muito ocupada cuidando de mim mesma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários