18 de fev de 2019

Vamos falar de Oscar? - Part I

(Imagem: Pinterest)


Pois é, meus amigos, desde que os candidatos ao Oscar 2019 foram divulgados eu não vou me cansar até assistir todos. Tá, eu sei que é meio impossível assistir tudo antes da comemoração, que vai rolar dia 24 de fevereiro anota aí! Faz alguns anos que eu assisto pelo menos os indicados de melhor filme, daí os outros assisto durante o ano. Até porque é raríssimo encontrar esses filmes aqui no ABC, quando tem são só cinemas em SP não ficam nem duas semanas em cartas. 

Ajuda a gente, cinemas?


Vou dividir em dois filmes por vez, porque acho que fica bom de ler, não fica grande e dá para entender bem o enredo sem ter spoiler. 



A Star Is a Born



É, eu comecei justamente com esse porque é um dos meus favoritos para levar o prêmio. O longa é americano e conta a história de um músico, Jack, que viciado em álcool e drogas. Sendo assim, depois de um show, ele vai para um bar de drags (um pequeno spoiler do bem aqui) e pede drinks. Ai que ela entra, a deusa do filme, a Gaga, que dá rosto a Ally. Ela canta, ele chama ela para um drink, eles passam a noite toda conversando e aí já viu, né?

Parece um filme bem clichê, foi o que eu pensei enquanto assistia, mas definitivamente não é. Por trás dele, várias pequenas histórias são contadas. Lembram do ano passado, quando eu disse que A Forma da Água deveria ser uma série e não só um filme? (se perdeu corre aqui rapidinho). Em Star a Born é totalmente diferente, tudo nele se encaixa e todas as coisas tem que acontecer naquele momento. Quem já assistiu sabe bem o que eu estou falando.

Aliás, antes mesmo do filme ser lançado, eu havia comentado de uma das músicas da Lady Gaga e do Bradley Cooper por aqui (veja bem rapidinho aqui). Essa música levou diversos prêmios, o que é muito sensato porque ela é definitivamente incrível. Esse longa é uma refilmagem, mas eu conto tudo aqui




Bohemian Rhapsody


Quando eu vi o trailer que ia passar esse filme já mandei mensagem para o meu pai. A gente gosta de: filmes de "pessoas reais", historias reais e, claro, músicos. Logo quando lançou corremos para assistir. Confesso que não esperava muito desse longa, com perdões aos fãs de Queen, eu achei que seria "ok, tipo um musical.

Ainda bem que eu me enganei.

A história conta exatamente como o Freddie entra como vocalista, do que hoje conhecemos como Queen, até a sua última apresentação em 1985, sendo essa seis anos antes da morte dele. Eu não conhecia a história que sempre existe por trás da história. E esse longa me fez abrir os olhos muito mais para coisas que antes passavam despercebidas na minha mente. O que é muito bom, né? Quebrar padrões é algo que eu amo, ainda mais comigo mesma.

Enfim, não sei mais como comentar sem dar nenhum "spoiler" - porque é uma biografia né? Então não sei se eu estragaria tanto assim a surpresa. Só posso dizer que o ator Rami Saíd Malek fez um trabalho tão incrível que tinha momentos que eu achei que o Freddie estava realmente atuando ali - sim, eu acredito que o Michael ainda esteja vivo. Tanto é que ele está concorrendo ao premio de melhor ator pela Academia, o que eu acho isso muito incrível - A Academia erra as vezes, mas tem horas que acerta em cheio.

São outros atores que fazem um trabalho incrível nesses longas,. Acho que, de todos aqueles que eu já assisti, que estão concorrendo esse ano ao Oscar, esses dois estão na minha maior torcida. Todas as pessoas que pensam em seguir essa carreira de músico precisam MUITO assistir esses dois filmes, realmente vale a pena.

Tá chegando, né? Estou tão ansiosa que tô contando os dias - e ao mesmo tempo contando quantos filmes eu preciso assistir antes da premiação.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários